sexta-feira, 25 de abril de 2014

Livro da Semana: O Fim da Inocência

Não compreendo quando as pessoas me dizem que não têm tempo para ler, que gostavam de ler mais mas não o fazem porque não têm tempo. Eu leio porque gosto, quando me apetece arranjo tempo. Da mesma maneira que arranjo tempo para ver um filme, uma série, fazer exercício, sair com os amigos ou passear o cão... A vida pode não ser fácil, mas quando se quer uma coisa sempre se consegue arranjar tempo.
Isto tudo porque acabei de ler "O Fim da Inocência", um livro que toda a gente devia ler. Pais, mães, professores, avós, tios, primos, amigos e irmãos. Pode estar a acontecer na porta ao lado e ninguém dar conta, ou preferir fechar os olhos e deixar que passe. Li este livro em cerca de 5 horas seguidas, num fim-de-semana, tinha outras coisas para fazer, mas não consegui parar de ler. Fiquei parva, incrédula, surpreendida... Acabei de o ler e na minha cabeça a única palavra era F***-se!! Eu que nem digo asneiras.

O Livro conta a história da Inês, uma menina de Cascais, de colégio particular que se mete em mais do que deve. Não só ela, mas todos os amigos e muito provavelmente mais uns milhares por aí!
Será realmente o fim da inocência? Será que todas as miúdas de 10 anos já falam em sexo, como eu falava de Barbie's ou trocava canetas Uniball? Será que perder a virgindade aos catorze já é perder tarde, porque as colegas já a perderam à 2 anos?? Não posso crer, não quero acreditar. Ver a droga assim tão banalizada? A facilidade que se deixam levar e pressionar pelos amigos? Já não há o sentimento de individualidade, de ser diferente? É preciso ir atrás dos outros, só porque temos medo de ficar de fora? Este livro deixo-me revoltada. Fez-me pensar em em mim com aquela idade, em como eu era realmente inocente comparando com aquele relato!
Não é que seja uma santinha, mas parece que esta Inês viveu demais e muito cedo. Ao mesmo tempo parece-me pouco provável que a mesma miúda tenha passado por tanta coisa. De vídeos pornográficos, a ser violada e calar, às drogas e a ser usada como passadora. Muita ingenuidade numa miúda só? É que me parece estranho que alguém seja tão totó ao ponto de cometer erros atrás de erros sem se dar conta. Não sei se a história é realmente verdadeira, se foi inventada pela Inês, ou uma mistura de "Inêses" que o autor decidiu condensar... Mas é muita coisa para uma miúda só que nem atingiu os 18 no fim do livro!
Não julgo nem condeno, só fiquei espantada com esta "realidade". 

E a culpa? A culpa é de quem? Dos pais? Dos professores? 
Eu diria que é de todos. Dos pais que não prestam atenção suficiente, dos professores que não se interessam, dos próprios miúdos que não são capazes de dizer não.
Claro que não é a regra, felizmente. Mas ainda assim acho que é preciso abrir os olhos e este livro é perfeito para isso. Eu nunca me levei em conversas, mas sabia o que os outros faziam e mesmo assim este relato conseguiu surpreender-me. Mais uma vez recomendo que o leiam. Acho que é forte e pesado, mas muito fácil de ler. Venha o próximo!

2 comentários:

  1. Eu li o livro na altura em que ele saiu, e foi um misto de reacções e de 'o meu deus', uma enchente de informação que não parava, e em que a única solução era continuar a ler.
    Mas o que gosto mais é que mostra a realidade, talvez não a nossa, mas isso não quer dizer que não aconteça.

    ResponderEliminar
  2. Olá linda,
    adoro o teu canal e o teu blog, conheci-te logo no principio e tens crescido muitooo rapido, ainda bem, desejo-te o melhor do mundo.
    Tenho apenas 13 anos, tambem criei um canal no youtube e um blog como ja queria fazer a algum tempo.
    Adoro ler tal como tu, tenho uma wishlist enorme de livros que quero ler, ando a ler o divergente e tenho adorado. Ja tinha ouvido falar neste livro e agora depois da tua "review" do livro.
    Beijinhos
    gostava de saber a tua opiniao :

    http://rafaelapedrosolp.blogspot.pt/
    https://www.youtube.com/channel/UCRZfevUQq7FVbW-_Z--b7ug

    ResponderEliminar